24 de abr de 2012

Projeto de Lei isenta aluno com baixa renda de pagar taxa de vestibular

O Senado aprovou nesta terça-feira o projeto que isenta os estudantes de baixa renda do pagamento das taxas de inscrição dos vestibulares. Pelo projeto, ficam livres os pagamento da taxa os estudantes que comprovarem renda familiar per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio --e que também tenham comprovadamente cursado o ensino médio completo em escola pública ou como bolsista integral em escolas privadas.

O projeto também determina a isenção do pagamento das taxas para os candidatos que tenham a família inscrita no cadastro único de programas sociais do governo - se atenderem às demais prerrogativas para o não pagamento.

O projeto foi aprovado em caráter terminativo pela CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) e segue para nova análise da Câmara se não houver recurso para que seja votado em plenário. Ele volta à Câmara, onde começou a tramitar, porque o Senado fez mudanças no texto original.

Relator da matéria, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) defendeu a aprovação do projeto ao afirmar que o projeto auxilia na redução da desigualdade no acesso à educação.
"O instituto da taxa de inscrição precisa ser equacionado porque constitui um impedimento à concreção do mandamento constitucional da garantia de acesso segundo a capacidade acadêmica, e não econômica", disse o senador.

Pelo texto, cabe às instituições de ensino superior adotar critérios para as isenções total e parcial dos candidatos "de acordo com a carência socioeconômica" de cada um.

O MEC (Ministério da Educação) afirma que não possui uma diretriz central sobre o assunto e que hoje as instituições são autônomas para regulamentar os editais dos vestibulares.
Emenda ao projeto aprovada na CAE determina ao Poder Executivo estimar o montante da renúncia fiscal decorrente da isenção em demonstrativo que acompanha o projeto de lei orçamentária.

Fonte: Folha Uol

20 de abr de 2012

Nota Importante!





VESTIBULAR UNEAL - PROESP

INFORMAMOS QUE O GABARITO OFICIAL DO VESTIBULAR, ESTARÁ DISPONÍVEL NO SITE A PARTIR DAS 10:00H DO DIA 17/04.

O RESULTADO FINAL DO VESTIBULAR ESTARÁ DISPONÍVEL NO DIA 23/04 NO SITE DO CENFAP. http://www.cenfap.com.br/


PÓS-GRADUAÇÃO PROESP –UNEAL


AS INSCRIÇÕES PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO, FORAM PRORROGADAS ATÉ 30/06.

LEMBRE-SE: ANTES DE SE INSCREVER VERIFIQUE SE SEU ÓRGÃO OU PREFEITURA FEZ ADESÃO AO PROGRAMA.

Fonte: Cenfap




15 de abr de 2012

Afinal, em que mundo nós estamos?

Aluno ameaça de morte professora que pediu a ele para falar mais baixo em escola de Minas Gerais

Uma professora de 51 anos, que leciona em escola municipal localizada no distrito de Cláudio Manoel, em Mariana (MG), foi ameaçada de morte por um adolescente de 17 anos após ter pedido a ele que abaixasse o tom de voz dentro da sala de aula.

Segundo a Polícia Militar mineira, o rapaz teria se enfurecido por ter sido advertido na frente dos demais colegas, na tarde de quinta-feira (12). De acordo com o boletim de ocorrência, após a advertência, o aluno insultou a professora com palavrões, momento em que ela o expulsou da sala de aula. Ainda conforme a polícia, o aluno saiu da escola e foi até sua casa, de onde voltou à unidade de ensino munido de uma faca.

No entanto, o rapaz teria desistido de atacar a educadora por funcionários da instituição de ensino, que conseguiram acalmá-lo, de acordo com informações da polícia.

Porém, ao retornar para casa, o adolescente teria ficado irritado com o fato de a professora ter informado ao pai dele, por telefone, sobre o que havia ocorrido na sala de aula. O rapaz então retornou à escola de posse de uma outra faca. Ao vê-lo, a educadora se abrigou na sala dos professores, onde colocou uma mesa escorando a porta para impedir a entrada do aluno.

Conforme a polícia, o rapaz desferiu vários golpes de faca contra a porta, conseguiu entrar no recinto e agarrou a mulher pelo braço, dizendo que poderia facilmente matá-la. Com a intervenção de funcionários da escola e de integrantes da guarda municipal, o agressor foi desarmado e dominado, mas conseguiu se desvencilhar e fugiu para uma mata nos fundos da escola. A professora não se feriu na ação.

A Polícia Militar foi acionada e conseguiu apreendê-lo. O menor apresentava um ferimento na mão que, segundo a polícia, foi causado pelas pancadas que havia dado na porta. O suspeito foi encaminhado a um hospital e, em seguida, foi levado a uma delegacia da Polícia Civil, onde prestou depoimento e foi registrado um auto de apreensão em flagrante por ato infracional.

Ainda segundo a polícia, o menor foi entregue aos pais por não haver um centro de internação na cidade para abrigar menores infratores. O caso será enviado a juiz de vara da Infância e Juventude.

Fonte: Uol educação



12 de abr de 2012

Pegadas na areia...

Uma noite tive um sonho, sonhei que estava andando na praia com o Senhor, e através do céu, passavam cenas da minha vida. Para cada cena que se passava, percebi que eram deixados dois pares de pegadas na areia; Um era meu e o outro era do Senhor. Quando a última cena da minha vida passou diante de nós, olhei para trás, para as pegadas na areia, e notei que muitas vezes, no caminho da vida, havia apenas um par de pegadas na areia. Notei também que isto aconteceu nos momentos mais difíceis e angustiosos do meu viver. Isso aborreceu - me.

Então perguntei ao Senhor:

- Senhor, Tu me disseste que, uma vez que resolvesse Te seguir, Tu andarias sempre comigo, em todo o meu caminho, mas notei que durante as maiores dificuldades do meu viver, havia apenas um par de pegadas na areia. Não compreendo porque nas horas em que mais necessitava de Ti, Tu me deixastes...

O Senhor respondeu:

- Meu precioso filho, eu te amo, e jamais te deixaria nas horas de tua prova e de teu sofrimento. Quando vistes na areia apenas uma pegada, é que nos meus braços te levei...

                                                                                                             Jesus Cristo

5 de abr de 2012

A situação do professor brasileiro


A educação brasileira atravessa uma crise, várias são as supostas causas que provocam essa crise, muitos acreditam que a baixa qualidade do ensino está ligada à deficiência do professor.

Frequentemente são divulgadas pesquisas de diferentes órgãos que emitem informações acerca da atuação do professor brasileiro, além disso, inúmeros informes, artigos, reportagens afirmam que a maioria dos professores não desempenha de forma eficiente o seu trabalho. No entanto, essas pesquisas não verificam os fatores que afetam a qualidade do trabalho do professor. Esse profissional, em geral, vive cansado diante de tantas atividades que a função requer; o excesso de tarefas ligadas à função de professor causa um esgotamento físico e intelectual. Comportamento resultante do sistema de ensino extremamente burocrático adotado no país. O importante é verificar o que causou essa transformação.

O professor brasileiro é cercado de um arsenal de burocracias, como: diários, planos de aula, fichas avaliativas, formulários, entre outros. Incluindo ainda a imensa quantidade de trabalho que o professor leva para casa, tais como: plano de aula, elaboração de atividades, provas, trabalhos, correções, testes, projetos etc. Esses não são os únicos agravantes, o professor tem que enfrentar o problema da indisciplina escolar difundida na maioria das escolas brasileiras, como excesso de conversa, bagunça, uso indevido de aparelhos eletrônicos que invadiram as escolas, isso, aliado ao baixo salário, praticado na maioria das vezes. A defasagem salarial não supre todo o trabalho realizado fora da escola, nos finais de semana e feriados.

Somado a tudo o que foi citado acima, o professor ainda se submete aos vários tipos de violências ocorridas na sala de aula, dentre as principais estão: violência verbal ou assédio moral (palavras ofensivas direcionadas ao professor no momento do intervalo), violência moral (diferenciações entre níveis de ensino e professores). Além de pressões exercidas por parte da coordenação por melhorias de notas, perseguições, fiscalização semelhante à vigilância nas salas. Enfim, esses são alguns dos motivos que levam o professor a entrar em tal condição. O conjunto de situações apresentadas exerce grande influência na qualidade de vida e no trabalho do docente.


Comumente, milhares de professores entram em depressão ou sofrem de doenças ligadas ao estresse. Em suma, a deficiência do professor existe, porém é preciso verificar o que provoca as limitações profissionais dos mesmos.

Fonte:  Brasil escola