24 de jun de 2010

Ajude as vítimas em AL e PE

                                                                          Foto: José Marcelo

Ajude as vítimas em AL e PE, ligando para a Defesa Civil em AL(0**82 3315 2822)ou procurando o Corpo de Bombeiros mais proximo e ainda através das contas abaixo. As doações em dinheiro podem ser feitas na conta corrente 5241-8 na agência 3557-2 do Banco do Brasil, ou na conta corrente 955-6 da agência 2735 da Caixa Econômica Federal.

                    O Blog agradece                                               

23 de jun de 2010

A Solidariedade Humana


Vivemos hoje uma era onde saímos de casa como possivel vítima e retornamos como sobrevivente e em alguns casos como herói, por termos nos safado de situações difíceis. Sabemos que os fatores primordiais que geram sérios problemas sociais são o desemprego e a ridícula distribuição de riqueza.
O dinheiro é manipulado por uma pequena parcela da população que prefere, em grande parte, especular no mercado financeiro, em vez de aplicar no processo produtivo , ao contrario de países como a China, que está em grande desenvolvimento econômico , pela mobilização de capitais internos em investimentos para a sua economia.
Nesta era moderna, de incentivo ao consumismo, da globalização, de fome, de desemprego, onde poucos têm voz ativa, pode haver um fator relevante que poderia ajudar no combate a miséria social e que está ao alcance de qualquer cidadão, é a solidariedade humana.
A solidariedade humana passou a estar cada vez mais distante do ser humano, agora mais habituado e até treinado a viver como uma ilha disputando todos as vantagens e espaços com os outros cidadãos e portanto seres humanos. Vemos o nosso semelhante como um inimigo e não como nosso irmão.
No trânsito temos exemplos de falta de cortesia, onde procuramos levar sempre vantagens, ignorando as situações de trânsito difíceis que o outro porventura estiver enfrentando num determinado momento. Nos locais públicos onde filas se formam para atendimento, sentimos profundamente a falta de respeito ao próximo, o sentimento claro de se levar vantagem sobre o outro. Na ocupação de lugares em transporte coletivo ou locais de entretenimento, onde não haja assentos numerados, a disputa pelos mesmos chega a ser ridícula .
Por que agimos assim se até os animais se respeitam e eles não são racionais como nós? Vejamos o caso dos gansos que vivem em formação e lutam pela sobrevivência juntos. Quando um ganso fica doente ou é ferido por um tiro de um caçador desalmado e cai, dois gansos saem em formação e o acompanham para ajudá lo e protege-lo . Ficam com ele até que consiga voar novamente ou morrer. Que belo exemplo de solidariedade temos dos gansos e eles não são animais racionais, como o dito ser humano.                                                   
A falta de solidariedade é ao mesmo tempo causa e efeito desta situação. É um modo contínuo que podemos quebrar com a nossa mudança de atitude.
“A todos(as) as Vítimas do grande caos e destruições ocasionado pelas enchentes ocorridas em AL e PE...O nosso sincero gesto de SOLIDARIEDADE!!!”
                                             
                                                                                           Carlos Senna

14 de jun de 2010

Palavras Homófonas

Palavras homófonas são palavras de pronúncias iguais. Existem dois tipos de palavras homófonas, que são:
Homófonas heterográficas
Homófonas homográficas

Vejamos então alguns exemplos:
Apreçar - avaliar ou estimar o preço de. Exemplo: Há concursos televisivos em que os concorrrentes têm de apreçar certos produtos à venda no mercado, como electrodomésticos.
Apressar - dar pressa a. Exemplo: Tive de apressar o meu amigo, para não perdermos o comboio das cinco.
Ceara - Pretérito Mais-Que-Perfeito do verbo cear, equivalente à forma composta "tinha ceado". Exemplo: Naquela noite, Jacinto ceara mais tarde do que o habitual.
Seara - extensão de cereal cultivado no campo. Exemplo: As searas de trigo brilhavam ao sol.
Caçar - perseguir alguém ou alguma coisa com a intenção de o/a apanhar e/ou matar. Exemplo: Caçar animais em risco de extinção é uma falta de respeito pela natureza.
Cassar - anular ou apreender uma licença. Exemplo: A Polícia pode cassar a tua carta de condução, se fores apanhado a cometer uma infração.
Pontoar - marcar ou coser com pontos. Exemplo: Vou usar linha amarela para pontoar a gola da blusa.
Pontuar - colocar sinais de pontuação em; marcar pontos (numa competição). Exemplo: Fizemos um exercício em que era necessário pontuar um breve texto.
Sediar - estabelecer sede. Exemplo: A empresa, sediada em Lisboa, tem sucursais por todo o país.
Sedear - limpar (normalmente peças de ourivesaria) com escova de sedas. Exemplo: Depois de arrumares esses colares, podes sedear os anéis que estão nesta caixa.

Fonte: Infopédia

8 de jun de 2010

Educação Indígena


                          GRADUAÇÃO PARA PROFESSORES INDÍGENAS

Com cerca de 3 mil professores indígenas em cursos superiores de licenciatura intercultural e mais 7 mil aguardando vagas de ingresso, o Ministério da Educação discute esta semana, em Brasília, como tornar a formação de educadores indígenas uma política pública permanente.
No seminário "Ensino Superior e Povos Indígenas", o MEC, instituições de ensino superior e outras áreas do governo federal debatem que tipo de política pública deve ser adotada. A eficácia do sistema de editais para selecionar universidades e transferir recursos, criado em 2005 com o Programa de Apoio à Implantação e Desenvolvimento de Cursos para Formação de Professores Indígenas (Prolind), está sendo questionada.
De acordo com Armênio Schmidt, diretor de educação para a diversidade da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad) do MEC, o edital tem fluxo próprio e, muitas vezes, atrasa a liberação de recursos para as instituições e o início dos cursos. Uma das alternativas em debate no seminário é a política de financiamento de bolsas, para que as universidades possam trabalhar com planejamento de oferta de cursos e vagas em médio e longo prazo.
A preocupação com políticas públicas permanentes de formação de professores indígenas, explica Schmidt, deve levar em consideração o crescimento da população indígena que é de 4% ao ano. O aumento da taxa de natalidade exige mais vagas na educação básica, mais escolas, bibliotecas e materiais didáticos e mais professores qualificados, diz.
Dados do coordenador de educação escolar indígena da Secad, Gersen Baniwa, mostram que, via Prolind, o Ministério da Educação financia 22 cursos de licenciatura intercultural em 16 universidades públicas. De 2005 a 2009, ingressaram nesses cursos aproximadamente 3 mil professores, dos quais 220 já concluíram o magistério superior.

Fonte: Mec.gov.br

Homenagem a Prof. Salomé da Rocha Barros


Nasceu em 1918, na cidade de Ponta Porã, Mato Grosso do Sul. Seu pai era promotor público e veio pra União quando ela tinha 11 anos de idade. Quando pequena, Salomé estudou nos melhores colégios de Recife e Maceió. Ela era bonita, culta e impulsiva. Foi jornalista, literata e educadora. Formada em licenciatura plena em geografia e história de Alagoas, também lecionou por 37 anos o francês e o inglês, no Colégio Santa Maria Madalena, em sua própria residência e no Mário Gomes de Barros. Amada por todos, faleceu em Maceió no dia 22 de novembro de 1997, aos 79 anos de idade. Em sua homenagem a municipalidade colocou seu nome na maior escola pública da cidade, que fica no Bairro Roberto Correia de Araújo. A Escola Municipal Salomé da Rocha Barros foi inaugurada no dia 30 de março de 1997, na gestão de José Afrânio Vergetti de Siqueira.

Fonte: Folhaserrana.com

4 de jun de 2010

Projovem Urbano-2010

O ProJovem Urbano tem duração de 18 meses, oferece formação no ensino fundamental, cursos de iniciação profissional, aulas de informática e auxílio de R$ 100,00 por mês.

O Programa foi concebido como uma intervenção de caráter emergencial destinada a atender parcela significativa dos jovens com o perfil socioeconômico tipificado como público-alvo, que têm necessidade de retomar a trajetória escolar e prosseguir nos estudos.

Assume também caráter experimental ao basear-se em novos paradigmas, constituindo sua proposta curricular a partir de conceitos inovadores que dão suporte à articulação entre o ensino fundamental, a qualificação profissional e a ação comunitária, visando à formação integral do jovem, considerado como protagonista de sua formação.

Ao integrar ensino fundamental, qualificação profissional e ação comunitária, o Programa busca oferecer oportunidade para que os jovens experimentem novas formas de interação, se apropriem de novos conhecimentos, re-elaborem suas próprias experiências e sua visão de mundo e, ao mesmo tempo, se re-posicionem quanto a sua inserção social e profissional.

Fonte:Projovemurbano.gov.br

PROUNI-Programa Universidade para Todos



O ProUni - Programa Universidade para Todos tem como finalidade a concessão de bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições privadas de educação superior. Criado pelo Governo Federal em 2004 e institucionalizado pela Lei nº 11.096, em 13 de janeiro de 2005, oferece, em contrapartida, isenção de alguns tributos àquelas instituições de ensino que aderem ao Programa.

Dirigido aos estudantes egressos do ensino médio da rede pública ou da rede particular na condição de bolsistas integrais, com renda per capita familiar máxima de três salários mínimos, o ProUni conta com um sistema de seleção informatizado e impessoal, que confere transparência e segurança ao processo. Os candidatos são selecionados pelas notas obtidas no ENEM - Exame Nacional do Ensino Médio conjugando-se, desse modo, inclusão à qualidade e mérito dos estudantes com melhores desempenhos acadêmicos.

O ProUni possui também ações conjuntas de incentivo à permanência dos estudantes nas instituições, como a Bolsa Permanência, o convênio de estágio MEC/CAIXA e o FIES - Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior, que possibilita ao bolsista parcial financiar até 100% da mensalidade não coberta pela bolsa do programa.

O ProUni já atendeu, desde sua criação até o processo seletivo do segundo semestre de 2009, cerca de 600 mil estudantes, sendo 70% com bolsas integrais.

Desde 2007, o ProUni - e sua articulação com o FIES - é uma das ações integrantes do Plano de Desenvolvimento da Educação – PDE.

Assim, o Programa Universidade para Todos, somado ao Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI, a Universidade Aberta do Brasil e a expansão da rede federal de educação profissional e tecnológica ampliam significativamente o número de vagas na educação superior, contribuindo para o cumprimento de uma das metas do Plano Nacional de Educação, que prevê a oferta de educação superior até 2011 para, pelo menos, 30% dos jovens de 18 a 24 anos.

Fonte:Prouneportal.mec.gov

História de União dos Palmares-AL

O município de União dos Palmares teve sua origem em um povoado conhecido como Macacos, criado no século XVIII na margem esquerda do Rio Mundaú. Suas primeiras casas foram construídas nas proximidades de um cruzeiro, no lugar conhecido como 'Cerca Real dos Macacos'.

A oeste da capital do município, localiza-se a Serra da Barriga, lugar onde os negros reuniam-se para fazer resistência a escravidão formando os chamados Quilombos, um dos mais importantes foi o Quilombo dos Palmares, liderado por Zumbi que organizou a famosa República dos Escravos, também conhecida como República dos Palmares, cujo objetivo era a libertação dos escravos no país.

Toda a zona foi colonizada pelos portugueses, Domingo de Pino construiu a primeira capela do povoado em homenagem a Santa Maria Madalena, padroeira da cidade. Também foi conquistada pelos holandeses.

Depois da morte de Zumbi foi extinta a República dos Palmares por Domingo Jorge Velho, que perseguiu os escravos até sair vitorioso. A partir deste momento o povoado começou a desenvolver-se. No ano de 1831 o povoado desvinculou-se do município de Atalaia e foi denominado Vila Nova Imperatriz, devido ao seu importante desenvolvimento no ano de 1889 foi elevada à categoria de cidade.

No ano de 1890 foi denominada União por ser o lugar onde encontrava-se a Ferrovia que unia os Estados de Alagoas e Pernambuco. Foi somente no ano de 1944 quando começou a chamar-se com sua atual denominação, União dos Palmares, em homenagem aos Quilombos.

Atualmente o município de União dos Palmares é conhecido por seus acontecimentos históricos e na Serra da Barriga foi fundado o Parque Nacional de Zumbi, onde encontrava-se o Quilombo dos Palmares, comunidade de negros que chegou a contar com mais de 30.000 escravos que lutaram, liderados por Zumbi dos Palmares contra a escravidão no país.

Fonte: A-brasil.com

Violência nas Escolas

A violência que ocorre “na” escola é associada aos graves problemas sócio-econômicos das grandes cidades, o domínio do narcotráfico, as gangues, o declínio da autoridade dos pais e professores, a violência reproduzida da TV e dos jogos eletrônicos, etc.

A violência “da” escola, historicamente, reproduz as desigualdades sociais, produz castigos físicos em nome da “disciplina”, da “moral”, dos “costumes”, da “adaptação à sociedade”. A palmatória é o principal símbolo dessa educação repressiva e tradicional, infelizmente, ainda não abolida em muitas partes do mundo.

Curioso é que, a violência praticada pela professora de antigamente vem sendo substituída por uma nova forma de violência dos alunos contra os professores, seus bens, e o patrimônio da escola. Hoje, professores de todo o país sofrem desrespeito, ameaças, e agressões físicas dos alunos e pais deles.[2] Escolas são depredadas, pichadas, roubadas, aparentemente como simples vandalismo. Principalmente falta envolvimento da comunidade local para evitar que a escola seja violentada por seus próprios alunos ou estranhos, e os professores continuem sendo desrespeitados e ameaçados.

Pesquisa do ISME (Instituto SM para a Educação), em 2006, coordenada pela professora Maria Isabel Leme (USP), compara o Brasil, Argentina, Chile, México e Espanha, mostra que a relação entre alunos e professores é pior em nosso país. Cerca de 20% dos alunos não se sente bem na escola, onde sofre xingamentos (33,1); 20,1% diz sofrer agressões físicas dos colegas, e 17,1 sofre rejeição. Para a maioria dos professores (58,8%) a ausência de limites impostos pelos pais na educação dos filhos é responsável pelos conflitos entre professores e alunos.

Outra pesquisa realizada pela UNESCO, em 2002/3, revela que existe violência em 83;4% das escolas brasileiras. Os furtos ocorrem em 69,4% delas. Cerca de 60% disseram ocorrer roubo em sua sala de aula, 37% declara que já foi furtado e 69% não sabe a razão.

Fonte:Espaçoacademico.com.br

3 de jun de 2010

"O que é Educação?"

Educação engloba os processos de ensinar e aprender. É um fenômeno observado em qualquer sociedade e nos grupos constitutivos destas, responsável pela sua manutenção e perpetuação a partir da transposição, às gerações que se seguem, dos modos culturais de ser, estar e agir necessários à convivência e ao ajustamento de um membro no seu grupo ou sociedade.

Enquanto processo de sociabilização, a educação é exercida nos diversos espaços de convívio social, seja para a adequação do indivíduo à sociedade, do indivíduo ao grupo ou dos grupos à sociedade. Nesse sentido, educação coincide com os conceitos de socialização e endoculturação, mas não se resume a estes.

 A prática educativa formal - que ocorre nos espaços escolarizados,quer sejam da Educação Infantil à Pós Graduação - se dá de forma intencional e com objetivos determinados, como no caso das escolas. No caso específico da educação formal exercida na escola, pode ser definida como Educação Escolar. No caso específico da educação exercida para a utilização dos recursos técnicos e tecnológicos e dos instrumentos e ferramentas de uma determinada comunidade, dá-se o nome de Educação Tecnológica.
Fonte: Wikipedia.com